Dicas & Novidades

Living Rizophora - Gabriel Magalhães e Luiz Claudio Souza

Por: John Doe

Conceito

Um living bem leve. Uma maneira de viver mais suave, integrada com a natureza, envolvida com a pureza dos materiais e com a essência da vida. Esta é a proposta para o ambiente: uma reflexão sobre o papel da casa contemporânea e suas interferências na vida e nas sensações do morador.

O projeto do Living Rizophora tem como princípio a utilização de elementos essenciais como a luz natural, vegetação abundante, materiais simples e a arte brasileira.

O espaço, localizado no bloco da ruína da mostra, propõe um reencontro com as raízes, com aquilo que nos é primordial. Por isso leva o nome de Rizóphora, árvore típica dos manguezais brasileiros, com raízes profundas e entrelaçadas, de cor avermelhada, e que serviu de matéria prima para o escultor Frans Krajcberg, artista plástico que assina a principal obra de arte de espaço, uma escultura que domina a visão do visitante.

Perfil

O ambiente foi pensado para pessoas que busquem uma forma de viver contemporânea, com simplicidade, integração entre o espaço interno e o externo. Gente que valorize o convívio com os amigos, com a família, o bem estar, a arte e a boa música. Que tenha como filosofia levar uma vida mais leve e sem excessos, em constante contato com a natureza.

Sustentabilidade

O conceito de sustentabilidade surge desde o momento da escolha do ambiente. Optamos por participar da mostra no bloco das ruínas, em um espaço já existente e que nos possibilitava exercer a arquitetura causando menos impacto no entorno. Com isso conseguimos preservar todas as paredes existentes e optamos por deixar aparente todo o tijolinho cerâmico das alvenarias.

Como o espaço não tinha telhado, decidimos criar uma nova cobertura metálica, feita em aço - que poderá ser totalmente reutilizado. Apoiamos a nova estrutura suspensa da alvenaria existente, de modo a criar aberturas, possibilitando que todo o perímetro do ambiente esteja banhado de luz natural. Com isso aumentamos o conforto visual e reduzimos a necessidade de iluminação artificial durante o dia.

Optamos também por criar um pergolado interno, que servirá de apoio para toda a vegetação natural do espaço. Com esta medida melhoramos a qualidade do ar, o bioclima interno do living e reduzimos a necessidade de climatização mecânica.

Para os acabamentos o princípio de escolha foi o mesmo: na marcenaria utilizamos chapas de MDF fabricadas com descartes da indústria madeireira; para o piso a escolha foi o Mármore Casanova, extraído pela Pavimenti, na Bahia - a proximidade do local da extração reduz os impactos com transporte – que será completamente reaproveitado após o evento

Arte

Arte e arquitetura estão sempre conectados, por muitas vezes misturados, e é impossível desvencilhar o nosso trabalho disto. A construção de um projeto de interiores é feita através da sobreposição de várias camadas de conhecimento, chegando num resultado final que agregue arquitetura, arte, bem estar, etc. É impossível ter um bom projeto de interiores sem algum tipo de arte envolvida. Para o Living Rizóphora selecionamos obras de artistas como Frans Krasjcberg, Mário Cravo, Emídio Magalhães, Eloá de Carvalho, Lara Viana, Bruno Ferruccio e Clarice Borian.